Flicia destaca a literatura e a imaginação no desenvolvimento infantil

Publicado: 08/06/2018

A tecnologia virtual está afastando crianças e adultos do contato com os livros.

A literatura, nos dias atuais, está sendo consumida de maneira superficial, isto porque, as pessoas estão com resistência em ler. Até em aplicativos, usuários resistem à prática da leitura, optando, em sua grande maioria, pelas mensagens de voz e vídeo. Ao assistir filmes, muitos espectadores preferem os dublados, para não ter que ler a legenda. Com esta visão, a noite desta quinta-feira (07), da 3ª edição da Festa Literária de Cianorte (Flicia) contou, entre outras atrações, com a palestra do professor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Dr. Fernando Wolff Mendonça. O tema foi “Literatura e desenvolvimento da imaginação no desenvolvimento infantil: uma abordagem histórico-cultural”.

Com uma linguagem simples e objetiva, o palestrante superou as expectativas do público presente, que lotou o auditório do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP). “Os adultos estão sendo absorvidos pela tecnologia virtual e perdem o contato com a possibilidade que o livro traz, e isso está acontecendo também com as crianças. Os pais estão preferindo colocar seus filhos para assistirem desenhos em televisores e celulares, do que pegar um livro e contar histórias para eles, despertando assim o poder da imaginação, e isso está criando, cada dia mais, uma geração distante da leitura”, pontuou o palestrante.

 “A Flicia está consolidada como o principal evento do município desenvolvido em prol da literatura. Nesta noite, pudemos ser acrescidos com os ensinamentos repassados pelo Dr. Fernando. É um mestre no assunto, e só veio a acrescentar para a Educação cianortense”, enfatizou a secretária de Educação e Cultura, Maria Neuza Casassa. “O Dr. Fernando esteve presente em todas as edições da nossa Festa, e neste ano atendeu gentilmente o nosso pedido, trazendo este tema tão atual e importante para o nosso desenvolvimento pessoal”, finalizou a chefe da Divisão de Cultura, Silvana Camargo.

O público ainda prestigiou exposições de trabalhos pedagógicos das instituições de ensino do município; vendas de materiais literários por empresas, livrarias e editoras; contações de histórias, recepções artísticas realizadas pelo Espaço Sou Arte e relatos de experiências pedagógicas, científicas e literárias.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação