Risco de infestação de Aedes aegypti é médio em Cianorte

Publicado: 12/04/2018

O 2º Levantamento de Índice Rápido detectou 22 focos do mosquito; quatro deles na Zona 04

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou, nesta quinta-feira (12), o resultado do 2º Levantamento de Índice Rápido Aedes Aegypti (LIRAa). Realizado entre os dias 09 e 11 de abril, o estudo aponta um índice de infestação do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya de 1,4%, número que coloca Cianorte em alerta para o risco de epidemia da doença, conforme classificação do Ministério da Saúde. Atualmente, o município não tem confirmado nenhum caso das doenças transmitidas pelo mosquito.

Os dados do LIRAa estão baseados nas visitas realizadas a 1.547 imóveis de Cianorte, escolhidos por sorteio aleatório. Neles foram encontrados 22 focos do Aedes Aegypti, o que caracterizou a cidade com risco médio de infestação. A região mais crítica detectada foi a da Zona 04, com quatro focos da doença, seguida pela região do Aquiles Comar, e Zonas 07 (Ovídio Franzoni) e 03 (São Sebastião), com três focos, cada.

Ainda de acordo com o levantamento, metade dos focos (50%) foram encontrados em depósitos de lixo, como sacos plásticos, lonas, garrafas PET e outros recipientes similares. Os demais foram identificados em pequenos depósitos móveis (23,1%); em depósitos de armazenamento de água baixos (7,7%); em depósitos fixos (7,7); em materiais rodantes (7,7%) e em depósitos naturais (3,8%).

Em relação ao mesmo relatório elaborado no ano anterior, houve uma queda de 0,4% no índice. Para a supervisora do Programa de Combate à Dengue da Prefeitura, Vera Lucia Fusisawa, a melhora está ligada à interrupção das chuvas a ao aumento dos cuidados da população, motivado pelo aumento recente das multas para quem for reincidente em casos de focos do mosquito. “Agora, os novos valores passaram a ser R$250, para residências; R$400 para terrenos; e R$1,3 mil para estabelecimentos comerciais e indústrias”, comenta.

Fonte: Assessoria de Comunicação